Deixei meu sapatinho na janela do Pinel

Quando vai chegando o Natal, fim de ano e essa merda toda, as pessoas ficam retardadas. Gastam toneladas de dinheiro e tempo comprando camisas feias para pessoas que, supostamente, amam. Nada como se endividar para seu primo poder falar “putamerda, que presente escroto” no dia 25.

Todo ano é a mesma coisa. “Vou fazer as compras de Natal em novembro, para não enfrentar fila!”. Todo ano é a mesma coisa. Dia 22 de dezembro tá lá, igual a um idiota, correndo pelo shopping lotado de outros idiotas. Roubam sua vaga no estacionamente, alguém pisa no seu pé, uma velha escrota passa na sua frente na fila, você estoura o cartão de crédito. Que delícia, deve ser aquele espírito de Natal do qual tanto se fala. Exu de Natal, só se for.

Não vou sugerir nada alternativo para ninguém, tipo “plante uma árvore pela sua família” ou algo idiota assim. Já aprendi a não lutar contra a estupidez humana, dá muito trabalho. Tentar convencer pessoas a serem racionais e razoáveis é trabalhoso e infrutífero. Além disso, tenho esperança que meu sonho de Natal se realizará. Algum dia, depois de 4 horas procurando um boneco do Power Rangers pro filho, alguém vai surtar no Shopping e começar a quebrar tudo. Dado o estado de tensão e desespero das pessoas, é natural que espalhe e se transforme num pandemônio de classe média enfurecida, destruindo vitrines, roubando TVs de plasma, tacando fogo nas Lojas Americanas.

Eu vou estar em casa vendo na televisão, porque, este ano, já decidi como economizar tempo e dinheiro. De quebra, fazendo algo bom para o Brasil. Isso mesmo, um presente de Natal engajado! Um presente de Natal que, além de extremamente útil, é ecologicamente correto, socialmente responsável e benéfico a todos. Prova que, mesmo na época mais egoísta do ano, alguns ainda se preocupam com os outros.

Vou dar uma mendigo louco de presente para cada amigo meu.

A logística é simples. Alugo uma van, compro uma garrafa de pinga e um maço de Derby para servir de isca e saio pela cidade recolhendo aquelas criaturas de dread no cabelo e roupas de saco plástico falando sozinhas por aí. Depois, é só levar no quintal, dar um banho de mangueira e embrulhar.

Dar mendigos de presente vai ser o novo must do Natal/2007. Além de baixa manutenção (um pouco de pinga, uns cigarros e um PF sustentam o mendigo durante dias, e deixam seu pêlo brilhante e macio), mendigos têm várias funções. Seu próprio mendigo sentado no chão da sala dá assunto para qualquer reunião de amigos, além de servir de mesa de centro.

No dia-a-dia, pode ser usado como alternativa à televisão, cada dia mais insuportável. Imagine que delícia, a família inteira reunida na sala se divertindo com as imaginativas histórias do seu próprio mendigo. Papai, pede pra ele contar de novo a história de como o governo colocou um rádio na cabeça dele para controlar o que ele pensa! Não, papai, eu quero ouvir da vez que o outro mendigo roubou a última pedra dele e ele teve que chamar um demônio de oito cabeças para pegar de volta!

Mostre o que acontece com quem não presta atenção na escola e veja seus filhos estudarem com mais afinco. Seja a inveja da vizinhança, com seu próprio mendigo. Descartável, reciclável e biodegradável, é o presente perfeito, e é minha escolha para presentear meus entes queridos este ano. Vocês que se cuidem.

11 comentários:

Jacques disse...

Aposto que esse post foi causado pelas 2 semanas em estado de Cetose.
Vai comer um doce.

Jacques disse...

não achei na enquete um lugar para o meu voto.
Favor acrescentar inodoro/insípido/incolor

Guik disse...

Alem disto voce pode fantasiar seu mendigo de papai noel!

Manuel Rolim disse...

Clap, clap, clap.

Espero não ser uma pessoa querida.

Fritelix disse...

Vou mandar o endereço do seu blog para a Curia Metropolitana de BH. Há muitos anos eles cuidam dos mendigos e nunca pensaram nesta possibilidade.
A magia do Natal te contagiou, lindo este toque de amor e carinho para com o próximo. Não deixe que esta sensibilidade estrague o seu mau humor. Melhor que Eduardo Duzec que sugeria a troca de seu cachorro por uma criança pobre.
abç
fidel

Anônimo disse...

Poisé, um mendigo que já vem com o primeiro banho. Lindo! Vou adorar. Tem garantia? Tipo, sem piolho, sarna, micose, estas coisas da rua? Ou vem completo, com tudo isso?

Anônimo disse...

Texto Bobo...

Marcio Henrique disse...

Gostei, foram umas boas risadas imaginando o mendigo com cara de doidão no meio da sala dos parentes... mas na minha não! hehehe
Matias, só você mesmo pra aparecer com uma viagens dessas...
Feliz natal!

saintcahier.livejournal.com disse...

Posso cherry-pick o meu? Dependendo das estatísticas do hobo (altura, largura, comprimento, simetria geral, dentes naturais remanescentes) dá até para imaginar umas aplicações criativas desse presente.

Depois de um flea-dip, claro.

Rebs disse...

Pode reservar o meu, ou melhor, a minha... quero uma mendiga louca fêmea, ok?

E quanto ao meu desafio? Tô esperando...

Bjo

Cacá Zech disse...

simplesmente adorei!
Por mais que ache sua visão sempre um pouco pessimista, acho que doses escrotas de realidades são sempre inspiradoras e despertantes...
Sempre soube que o natal era uma merda. Enquanto tá todo mundo gastando a grana que não tem, a cidade tá ploriferando de mendigos e crianças pedintes...
Mas é fácil lidar com eles, é só ignorar, fechar os vidros e colocar uma música bem linda de natal no carro...
:) Feliz Natal!!! hehehehe